Archive for dezembro \31\UTC 2007

San Pedro de muitas surpresas

31 dezembro 2007

Quando descemos o tobogan que da acesso a San Pedro de Atacama, fiquei seriamente preocupada. Vista de cima, e na entrada, a cidade eh horrorosa. Lembra muito San Antonio de Los Cobres e Susques. Ruas de terra, casas de adobe, aparencia de miseria e um sol de deserto. A aduana e a  imigracao nao melhoram o cenario com a burocracia infinita, mas logo logo vieram as surpresas boas.

A gente chega ao centro da pequena vila e as casas de adobe continuam, assim como as ruas de terra. Mas cada porta eh uma surpresa: dezenas de cafes bem decorados, restaurantes transados (claro que em estilo rustico), muitas operadoras de turismo com atendimento bastante profissional, pousadas, uma praca muito charmosa e tudo bem organizado. Gente do mundo todo numa babel cosmopolita, tudo funcionando a pleno vapor, apesar de hoje ser vespera de feriado.  Ah, outra coisa que me chamou atencao foram os varios cachorros lindos e enormes que andam pela rua. Estavamos agora hah pouco num cafeh comendo tortillas quando entrou um Sao Bernardo maior do que eu chamado Pequeño que fez uma festa.

Jah reservamos um jantar num restaurante muito legal e amanha vou tentar descarregar umas fotos. A gente parte para Iquique depois de amanha. Por ora, vamos curtir bastante San Pedro.

 

Anúncios

A Falcon nao decepcionou

31 dezembro 2007

Os motores a explosao tem esse nome porque se mistura ar e gasolina dentro de um cilindro, pressiona-se um embolo para que a mistura fique bem “socada” e prestes a explodir. Quando estah nesse ponto, solta-se uma faisca e o negocio todo explode. A forca da explosao faz o embolo descer e as partes do motor girarem.

Tudo muito bom, soh que em altitudes onde o ar eh rarefeito, hah pouquissimo oxigenio no ar (por isso eh que muita gente passa mal e precisa inalar oxigenio concentrado para voltar ao normal) . Oxigenio eh essencial para fazer qualquer coisa explodir.

A Falcon eh uma moto carburada – isso significa que ela tem um carburador, um engenho bem bolado, mas meio tosco, pois sempre coloca dentro do cilindro a mesma quantidade de ar e de gasolina.  Como a explosao eh proporcional a quantidade de oxigenio que entrou, acaba sobrando gasolina e a queima se torna incompleta. A explosao fica um pouco fraca e a maquina perde a forca. Nos motores com injecao eletronica esse problema eh resolvidos por computadores que detectam que tem pouco oxigenio e injetam menos gasolina (a mistura estah sempre perfeita – por isso eh que eu adoro eletronica!). A moto do Conrado tem injecao, a minha, nao.

Dito isso, eh de se dar os parabens  a Falcon, que se comportou bravamente e saiu da travessia com louvor. Conseguiu manter uma media de 90-100 km/h mesmo solucando um pouco e soh fraquejou no ponto mais alto, onde nao passava de 70 km/h. Mesmo assim, nada que possa afetar a sua dignidade de moto carburada. Palmas para a Falcon que ela merece!!

Uhuu!!! Jah estamos do outro lado!

31 dezembro 2007

Agora escrevo do Chile, mais especificamente de San Pedro de Atacama.  A travessia foi tranquila, apesar do vento cortante e do frio glacial.  As paisagens sao de cair o queixo, mas vou tentar fotografar na volta (vou tentar pilotar com a camera pendurada no pescoco). É que soh de pensar em estacionar, descer da moto, tirar as luvar (brrr….) e abrir as travas da bolsa onde está a maquina dá até desespero. Ainda mais que, nessa altitude, tudo cansa, menos olhar essa beleza que nao se acaba.

Lá embaixo, na Patagonia, a Cordilheira dos Andes é como um muro baixo que separa a Argentina do Chile. Conforme vai se aproximando da linha do Equador, ela vai ficando mais alta e se divide em duas. Entao, ontem fizemos a primeira parte do muro e dormimos no altiplano, que eh como se fosse um chapadao bem alto entre as duas partes. Hoje, subimos o segundo muro e descemos.

A chegada em San Pedro eh em grande estilo, parece um tobogan. Em poucos quilometros, a gente desce mais de 2.000 metros. 

O Paso de Jama, nome desse caminho que atravessa a cordilheira, é nada menos que espetacular. Todo asfaltado, bem sinalizado. A primeira parte, na Argentina, é bem sinuosa e íngreme,  uma vertigem só! Já a segunda, que fizemos hoje, é bem menos acidentada e cheia subidonas e decidonas praticamente retas.  As vicunhas estao por toda parte, vimos o vulcao Licancabur (que fica na Bolivia, aqui pertinho) e lagos de degelo  indescritíveis.

Um caminho que todo mundo deveria passar pelo menos uma vez na vida (mesmo que nao seja de moto).  

Direto de Susques

30 dezembro 2007

Hoje estamos em Susques, a 3.700 m de altitude. A subida foi bem tranquila (de manha quase nao tem vento) e a Falcon teve um comportamente exemplar. Nao senti nenhuma diferenca, mesmo quando atingimos 4.200 m – nas retas longas ela chegava a 110 km/h sem nenhum esforco). O consumo de combustível continua igual e a gente também nao estah sentindo os efeitos da altitude (paramos num posto onde havia algumas pessoas passando mal).

Encontramos vários “expedicionários” brasileiros no caminho (interessante que a gente só tem cruzado com essas expedicoes de jipeiros off-road no asfalto – hoje eu contei 18 veículos – no dia em que rodamos em estradas de terra, nao encontramos nenhunzinho…).

Hoje fizemos um trecho que já havíamos passado de carro há uns dias. Nossa, a diferenca é dramática! É como ver o cenário pela TV (carro) e ao vivo (moto). Só de moto é possível sentir as reais proporcoes das montanhas, das altitudes, do vento e da natureza.

Vamos ficar o resto do dia de bobeira (afinal, é férias – queremos moleza mesmo) para partir amanha bem cedo e fazer os outros 300 km que nos separam de San Pedro de Atacama (ainda vamos subir mais 1.000 m e depois descer até 2.300 m).

Vicunhas felinas

29 dezembro 2007

No dia do passeio de carro, encontramos varias vicunhas passeando na estrada (perigo!). Ao contrario das lhamas e alpacas, as vicunhas e os guanacos nao foram domesticados, sao selvagens e lindos. Elas olham de longe curiosas, mas correm quando a gente tenta chegar perto. Esses bichos sao dotados de um senso estetico soh comparavel ao dos gatos. Repare a pose que elas fazem para sair bem a foto!

ligia-014.jpg

Caminhos coloridos

28 dezembro 2007

Hoje estamos em Purmamarca, a caminho de cruzar a cordilheira. Resolvemos fazer a travessia em dois dias para nao ficar tao cansativo, pois a estrada eh ingreme e cheia de curvas (calma, mae, vai dar tudo certo). Alem disso, hah que se considerar a altitude, que chega a 4.800 m!  Vamos sair dia 30, dormir em Susques (3.700 m) e chegar em San Pedro de Atacama dia 31, prontos para passar o reveillon lah.

Hoje e amanha vamos curtir Purmamarca (eh praticamente uma vila construida em adobe) e descansar bastante. Dah uma olhada no cenario (a casa amarela eh a pousada onde a gente estah…). (more…)

Depois que acaba o mundo

28 dezembro 2007

Quer sumir uns tempos? Fugir da civilizacao? Tenho uma sugestao: Santo Antonio de los Cobres. Eh longe e, para nao dizer que nao tem nada, tem um posto de gasolina (essencial, eh o unico num raio de 300 km). Com a fome que a gente estava (depois do lauto cafe da manha), os unicos viveres que o Conrado conseguiu foram algumas balas de goma, uma garrafa de agua e duas de Gatorade (viva a globalizacao!).

Sobre padarias e acougues

28 dezembro 2007

Dia 27 resolvemos passear de carro (eh mais facil de tirar fotos e menos cansativo) e rodamos nada menos que 700 km! Acordamos bem cedo com a intencao de tomar o cafe da manha em Campo Quijamo, uma cidadezinha muito charmosa a uns 80 km de Salta. Mas descobrimos uma coisa muito interessante: as 8 da manha nao havia uma panaderia aberta, mas quase todas as carnicerias jah estavam a postos. Depois de muitas voltas e sem raciocinar direito (fome!), fomos informados por um passante que a gente tinha que bater na porta da padaria e insistir (!!!) que a dona vinha atender. Conseguimos comprar 4 paes dormidos (acho que jah tinham uma semana) e nada de cafe. Quem conseguir entender a logica do lugar, mande sugestoes, por favor!

ligia-009.jpg

Aluguel de carro para loiras e antas

28 dezembro 2007

Alugamos  um carro para dar umas bandas pela regiao de Salta no dia 27. Por razoes profissionais nao escolhemos nenhuma das empresas mostradas nas fotos…

ligia-006.jpg

ligia.jpg

Meu slogan favorito

28 dezembro 2007

Adorei esse slogan. Nao eh o maximo?

ligia-003.jpg

Namorar na praca

28 dezembro 2007

Salta eh uma cidade segura como hah muito eu nao via. Dia 26 andamos de teleferico (por que nao ha um em Floripa?) e passeamos bastante. Hah um guarda em cada esquina e notamos que aqui o pessoal tem o habito de namorar a noite nos bancos da praca (aqueles no escurinho). Jah pensou que bom se no Brasil tambem fosse assim?

ligia-008.jpg

Salta la linda

26 dezembro 2007

Como dia 25 estava absolutamente tudo fechado na cidade (mal conseguimos um lugar para comer), só nos restou descansar (bem que a gente estava precisando). Foi um prazer caminhar por Salta (a alcunha “la linda” é merecida), que é cheia de cafés, restaurantes, parques e construcoes históricas. Hoje precisamos trocar o óleo das motos e lavar roupa (está tudo coberto de barro seco – nao sei como o cara do hotel nos aceitou como hospedes quando chegamos). Amanha vamos alugar um carro para conhecer os arredores (é mais fácil de tirar fotos e nao precisamos nos preocupar com o horário – de moto a gente nao viaja a noite, ainda mais por lugares ermos). Ainda nao consegui um cibercafé onde pudesse descarregar as fotos, mas espero poder fazer isso em breve.

“Expedicao Atacama 2008”

26 dezembro 2007

Temos cruzado com vários grupos de brasileiros nas estradas, em especial nos postos de gasolina. Sao grupos de 3 ou 4 carros ou jipes cheios de pessoas, levam até criancas pequenas. Sao turistas como nós, geralmente preferem o asfalto, hospedam-se em hotéis, comem em restaurantes, visitam lugares turísticos e tiram fotos. Antigamente isso tinha tudo para caracterizar uma excursao – hoje, a maioria tem selos gráficos aplicados em bonés, camisetas e carros – o que transforma o passeio em uma “expedicao“. Ainda acho que excursao seria mais adequado e realista, mas expedicao deve parecer mais emocionante para eles. Enfim, cada crianca com seu brinquedo, né?

Nome de transportadora

26 dezembro 2007

Pena que a chuva era muita, senao teria parado para fotografar uma placa que vi no caminho: “Transportes Los que chegam“.  Tem nome mais apropriado para uma transportadora?

“Nao pode ser!”

26 dezembro 2007

Dia 24 foi punk! Rodamos nada menos que 850 km em um retao que corta o país como uma régua! A estrada era até bem boa, exceto por uns 50 km onde a gente tinha que escolher o caminho por entre os buracos (mas dava para pensar com calma, a estrada era deserta) e um trecho de 5 km onde o asfalto havia sido retirado para reforma. Pois bem nesse trecho pegamos chuva e vento (ficamos imundos!).  Passando pela policia rodoviária da regiao bem denominada Pampa del Infierno, fomos devidamente extorquidos junto com um gaúcho que estava de carro. Paramos no próximo posto e foi muito engracado – ao me ver descer da moto, o cara teve que rever os seus conceitos. Ele olhava para mim e para a moto e repetia: “É, mas nao pode ser! Nao pode ser!“. 

Esqueci de contar

24 dezembro 2007

O zíper da bolsa na garupa da minha moto abriu sozinha e cuspiu a minha máquina fotográfica novinha na estrada, e eu nem percebi. Chegando num posto é que me dei conta. Lá foi Conrado, meu super-herói atrás do equipamento perdido. E voltou com ela! A coitada caiu quando passei por uma lombada, na entrada da cidade de Eldorado. Um senhor viu e juntou – quando o Conrado passou, ele logo acenou com a câmera na mao. Ainda por cima, estava funcionando (nada como aquelas capinhas acolchoadas…).

Que coisa, né? Nada como levar anjos de guarda na garupa. O meu adora passear!

Direto de Corrientes

24 dezembro 2007

Puxa, esses primeiros dias sao puxados, pois temos que vencer distâncias grandes (e teclados diferentes). Foi só cruzar a fronteira do Brasil com a Argentina e todos aqueles motoristas nervosos, audazes e insanos que infestavam nossas estradas simplesmente desapareceram. O mundo esvaziou na Argentina. So estradas sem fim (hoje foram 750 km) e boizinhos no pasto. Quando tem um pedacinho de serra as placas avisam que ha curvas (sao sempre “peligrosas” ou “mui peligrosas” – puro exagero argentino).

Pois é, amanha tem mais 700 km e entao comeca realmente a parte turística da viagem. Ateh lah, temos que dormir e acordar bem cedo para pegar a estrada (hoje o termometro do posto em Eldorado marcava 39 graus). Conheci a fundo o significado da expressao “sol inclemente”.

Até o próximo boletim! 

Até o ano que vem, Floripa!

21 dezembro 2007

Estou partindo agora com o meu marido para o norte do Chile (a gente vai até Iquique e depois faz a volta). Vamos de moto, cada um pilotando a sua (Uhuuu!!!). Vou tentar mandar notícias do caminho. Por ora, um natal cheio de surpresas boas para todo mundo e um ano novo cheio de sucesso e desafios!

Abracadabra para você!

18 dezembro 2007

Você conhece as origens da palavra abracadabra? E o que isso tem a ver com viagens de moto? Leia a minha coluna dessa semana e descubra!

 pipa.jpg

(more…)

Não tem mais carro para mim…

16 dezembro 2007

Não sou muito ligada em carros, mas adoro o meu Ford KA (já estou no terceiro). É pequeninho, gasta pouco, o motor é valente e o design é inovador, completamente orgânico (o painel me agrada muito). Pois é, por isso é que fiquei inconsolável ao ler a notícia sobre o novo Ford KA. Eles simplesmente destruíram o carrinho e transformaram o pobre num arremedo de Celta. (more…)

Natal legal para 100 crianças

15 dezembro 2007

presente.gif

Olha só que idéia original o pessoal da ACATE teve. Eles estão organizando o Natal de alguns alunos da Escola Básica Hilda Theodoro, que fica na Trindade.

É só escolher uma criança, comprar uma roupa bonita, um sapatinho e um brinquedo e embrulhar tudo junto. Depois, basta colocar o nome da felizarda no pacote e entregá-lo na ACATE (até o dia 20/12). Se você preferir, entregue R$ 80,00 reais um pouco antes e eles mesmos se encarregam das compras.

 

Para você não vai ser tão difícil, mas com certeza vai fazer toda a diferença no natal dessas crianças!

Quer saber mais? Quer participar? Entre no site www.mrconsultoria.net/natalmaisfeliz e escolha uma criança!

Haroldo e Horácio

15 dezembro 2007

Como é que alguém pode não gostar de gatos? Além de fofos, eles ainda contribuem muito para fazer o mundo mais bonito. São os bichos mais bem dotados de senso estético que existem, pois eles sempre se posicionam de um jeito que fica impossível não contemplar. Estão aí o Haroldo e o Horácio que não me deixam mentir.

hh.jpg

Você sabe o que é gestão do design?

12 dezembro 2007

olho.jpg

Que o design está na boca do povo, todo mundo sabe. Mas e a gestão do design? Você já ouviu falar? Não? Então trate de ler a minha coluna dessa semana rapidinho, pois a sua empresa está correndo perigo… (more…)

Haroldo para vocês

11 dezembro 2007

Observei que boa parte das pessoas chega no meu blog usando a palavra-chave gato. Para não decepcionar a torcida,  segue uma amostra do Haroldo, o gato ruivo que divide o apartamento comigo. Adoro bichos de todos os tipos e felinos em particular, mas nunca vi um gato mais fofo que esse… 

 

 haroldo2.jpg  

haroldo.jpg 

 

Idea-list

11 dezembro 2007

Sempre me encanto com a criatividade do pessoal que colabora com o site idealist. É um lugar para trocar idéias originais e todo mundo pode colaborar. Vejam que coisas simples e geniais escolhi para dividir com vocês.

cabide.jpg 

Cabide-clips: por que ninguém pensou nisso antes?

prato.jpg

Escorredor de pratos para quê, se existe varal?

notas.jpg

Esse bloco de notas de cerâmica é altamente ecológico. Chega de papel desperdiçado!

plantas.jpg

Para terminar, um regador para lá de original. Não é mesmo inspirador? 

 

Uhuuuu!! Finalmente nasceu!!!!

6 dezembro 2007

 

image001.jpg

 

É com imenso prazer que comunico o nascimento do meu mais novo filhote: “O design do designer“, pela editora Ciência Moderna.

O design aparece na vida de todo mundo como sinônimo de estilo, bom gosto, e até mesmo de coisas caras. Mas será que isso é mesmo verdade? O que, afinal de contas é esse tal de design? Para fazer design tem que ter diploma? Um publicitário pode desenhar uma marca? O que o marketing tem a ver com isso tudo?

Há cerca de dois anos tenho discutido esses e outros assuntos na minha coluna semanal no site http://www.acontecendoaqui.com.br, especializado em comunicação e marketing. Este livro apresenta as melhores colunas e está dividido em três partes: O designer, que fala da profissão; O design, que fala da presença deste conceito no nosso dia-a-dia; e Etc, que trata de assuntos variados.

Com uma linguagem coloquial, porém, sem “achismos”, a idéia é transformar a percepção das pessoas aguçando-as e tornando-as mais críticas. Indicado não só para quem é da área, mas também para interessados em geral e curiosos em particular.

Pena que agora não dá mais tempo de fazer festa de lançamento (a noite de autógrafos vai ficar para março). Mas na semana que vem, já deve estar nas melhores (e piores) livrarias. O preço de tabela é R$ 35,00, está por R$ 28,00 na promoção de lançamento no site da editora. Vai lá: www.lcm.com.br.

Telhado de vidro

5 dezembro 2007

Você acha que uma empresa (ou profissional) pode dizer que é ética mesmo que de vez em quando cometa alguns deslizes, como usar um programinha pirata ou deixar de dar uma nota fiscal? Esse é o tema da minha coluna dessa semana no AcontecendoAqui. Leia o resto deste post e veja se você concorda.

 

cd.jpg

(more…)

Coisas interessantes

5 dezembro 2007

O Wagner Nunes desenvolveu, junto com a sua turma da 4a. fase de Design Digital da Universidade Anhembi Morumbi, um site muito legal que fala sobre as relações entre design e artesanato enfocando a evolução dos instrumentos musicais (eles acabam incluindo outros objetos na discussão, como o garfo). Quer conhecer? Vai lá: www.tradicaoadapta.cafeinadesign.com.br.

Comidinhas da Veja

3 dezembro 2007

capa90x116.gif

Ôba! Finalmente posso falar! É que fui uma das juradas da categoria “comidinhas” da Revista Veja Melhor de Santa Catarina. Uns colegas achavam que esse negócio era marmelada, mas achei bem sério. Foi assim: um jornalista entrou em contato comigo (não faço idéia do que deu na cabeça dele em me convidar, mas não me fiz de rogada) e fez o convite. As condições: eu não podia ter nenhum parente que tivesse ligação com qualquer estabelecimento dessa categoria; não podia contar para ninguém, muito menos para os estabelecimentos que estavam sendo avaliados. (more…)